7 Min com Emmanuel: #049 – A melhor medida

Ouvir Download

A melhor medida 

“Mas é preciso que a perseverança produza obra perfeita, a fim de serdes
perfeitos e íntegros sem nenhuma deficiência.”

Tiago 1:4

Mais que as doenças vulgares do corpo, sofres os problemas da alma, agravando-te a tensão, cada dia.

Mais que os micróbios patogênicos a te assaltarem os tecidos do instrumento físico, padeces a intromissão de agentes mentais inquietantes,
atormentando-te as fibras da alma.

Levantas-te, cada manhã, muita vez, com as lutas da véspera e, antes que se te rearmonizem as forças, cambaleias mentalmente ao impacto da
irritação de familiares incompreensivos…

Prestas longas explicações, a benefício da tranquilidade ambiente; contudo, mal terminas o arrazoado afetuoso, há quem te malsine a palavra,
complicando as questões em torno…

Movimentas correção e sinceridade, honrando os próprios deveres; todavia, quando te julgas a cavaleiro de toda a crítica, aparece alguém
arrastando-te o coração ao mercado da injúria…

Empenhas carinho e abnegação no cultivo do amor ao lado de alguém; contudo, quando te crês em segurança no caminho do entendimento, observas que a ingratidão te envenena os melhores gestos…

Entretanto, há frente de toda dificuldade não te lastimes, nem desfaleças…

Para toda a perturbação, a paciência é a melhor medida.

Não profiras qualquer palavra de que te possas arrepender.

Silencia e abençoa sempre, porque, amanhã, quantos hoje se precipitam na sombra voltarão novamente à luz.

Esquecido, usa a paciência e ajuda sem exigir.

Insultado, recorre à paciência e esquece o mal.

Em todas as dores, arrima-te à paciência.

Em todo o embaraço, espera com paciência.

Todo progresso humano surge da Paciência Divina. Conserva-te, pois, na força da paciência e, onde estejas, farás sempre o melhor.

***

Comentário de Haroldo Dutra Dias sobre o capítulo

Voltando ao mesmo versículo do episódio anterior (episódio 48), Emmanuel retoma aquela palavra-chave sobre a qual todo o texto é construído –  “hupomoné“. Esse vocábulo, repetimos, pertence ao campo semântico das atitudes e emoções que expressam paciência, persistência, perseverança e resiliência.

Salientando a Paciência Divina como alicerce de todo o progresso humano, nos conclama a exercê-la em nossas relações com o próximo, conscientes de que todos que se precipitam na sombra voltarão novamente à luz.

Somente o bem é eterno. Toda imperfeição se converterá em dons divinos, com o auxílio do tempo, das lutas regeneradoras e da Paciência Divina.

O progresso humano se efetua com o concurso e a direção da providência divina, sábia e amorosa, que dispensa os recursos educativos adequados às nossas necessidades de aprimoramento espiritual.

Cumpre-nos a vigilância com relação aos “agentes mentais inquietantes” que atormentam as fibras de nossa alma, e são mais destruidores que as doenças do corpo.

Na força da paciência, venceremos a perturbação, o insulto, o abandono, a ingratidão, a solidão, o desânimo e as dores do caminho, oferecendo o melhor de nós, na certeza de que “com a medida que medirmos seremos medidos”.

***

Produção:  SER

Tecnico de Gravação:  Júlio Corradi

Voz:  Haroldo Dutra Dias

Finalização:  Júlio Corradi

Livro:   Palavras de Vida Eterna, Cap. 67

Revista: Reformador/Dez-1959, p. 276

Versículo:  Tiago, capítulo 1, versículo 4

Sete Minutos com Emmanuel – Episódio 49 –  Carta de Tiago, capítulo 1, versículo 4, comentário da Revista Reformador/Dez-1959, p. 276, e do Livro Palavras de Vida Eterna, Cap. 67, intitulado: A Melhor Medida – LEITURA DO VERSÍCULO: Mas é preciso que a perseverança produza obra perfeita, a fim de serdes perfeitos e íntegros sem nenhuma deficiência (Tg 1:4)

Comentários