A tecnologia e o impacto nas relações interpessoais

Na palestra “A promoção do bem na construção da paz”, durante o 4º Congresso Espírita Mundial, em 2004, o professor Cesar Soares dos Reis destacou o grande avanço científico experimentado pelo mundo já naquela época, com computadores potentes e tecnologia de ponta.

Ele ressaltou, porém, que apesar do avassalador desenvolvimento material, o homem ainda encontra muitas dificuldades para solucionar seus dramas interiores.

Um deles, consciente ou não, é o prejuízo que o progresso tecnológico, se mal utilizado, pode provocar nas relações interpessoais.

Nesse sentido, podem ser afetados diversos aspectos do desenvolvimento humano, como afetividade, sensibilidade e convivência com amigos, colegas ou mesmo desconhecidos.

Tudo isso pode abalar, de alguma forma e em algum grau, o desenvolvimento espiritual e também os propósitos de vida assumidos antes da reencarnação, por meio do livre arbítrio de cada um.

Um vídeo disponível na internet é um retrato do que acontece nos últimos anos em muitas famílias de todo o mundo. O filme, de pouco mais de 3 minutos, mostra o quanto estamos distantes das pessoas, várias que convivem debaixo do nosso mesmo teto.

Nele, uma professora, aos prantos, lê para o marido a redação de um aluno. Entre outras coisas, o garoto descreve como os pais se preocupam muito com seus celulares e se esquecem dele. Vale a pena conferir

Levando-se em consideração o “amai o próximo como a ti mesmo”, é preciso mais atenção em tentar descobrir o que se passa com familiares e amigos.

Ações como trocar experiências, conversar com quem precisa de atenção e ajudar, se possível, não podem sucumbir diante do avanço tecnológico.

Pior ainda é saber que o relacionamento entre entes queridos pode ser afetado. Principalmente o de familiares próximos, como pais e filhos, marido e mulher, etc, iniciado em vidas passadas e ainda recheado de sentimentos negativos a serem trabalhados e expurgados, pode ser afetado por essa fixação doentia pelo moderno.

Nesse caso, a culpa não é da tecnologia em si, mas da importância exagerada atribuída aos celulares. A evolução traz vantagens ao ser humano, pois facilita o acesso a informação, gera conforto, segurança, entretenimento e outros benefícios, por exemplo no campo da saúde.

Por outro lado, a maneira como os pais vão mediar o contato com esses recursos e com essa nova realidade é um cuidado que não existia até pouco tempo, mas que se tornou fundamental no desenvolvimento saudável das crianças de hoje e adultos de amanhã.

Tecnologia x progresso moral e espiritual

No “confronto” tecnologia x progresso intelectual, moral e espiritual, os seguidores da doutrina espírita e espiritualistas como um todo, isto é, aqueles que acreditam na imortalidade da alma e na continuidade da vida fora da matéria, têm papeis importantes. Entre outros, a missão de formadores de opinião.

Isso porque essas pessoas estão aptas, cada uma conforme sua possibilidade e nível de conhecimento, a servirem de exemplo teórico e prático dos ensinamentos amorosos de Jesus.

Rumos do progresso

Os rumos que o progresso da tecnologia pode alcançar, principalmente entre os jovens, são preocupantes. Mas existem antídotos capazes de contribuir com a solução desse problema.

“Há um grito saindo do fundo do coração clamando por um tempo novo, e a doutrina espírita abre as portas para isso. O espiritismo só tem sentido se sair das estantes, bibliotecas e se transformar em ação permanente”, disse Cesar Soares em sua palestra, que pode ser acompanhada na íntegra no Espiritismo.tv.

Zona de conforto e expansão

A palestrante Ana Tereza Camasmie corrobora com a ideia de que a evolução moral e espiritual é o caminho para vislumbrar mundos mais sutis, equilibrados e felizes, o que passa necessariamente pelo caminho do amor, afeto, entendimento familiar e propósito de servir em favor do bem.

O ser humano que vai contra essa força freia seu desenvolvimento.

“Os espíritos nos ensinam que demos um grande passo, representado pelo progresso intelectual, da ciência e dos recursos tecnológicos. No entanto, quando essa inteligência não tem uma direção clara, voltada para a felicidade do homem, fica a serviço das nossas pequenezas”, observa. A palestra de Ana Tereza também está no Espiritismo.tv.

Comentários