Publicado em

04 – Um choro para São João

No galinheiro é que se constatava a esquisitice. Quem ali chegasse, topava o espantoso: “– Que coisa é?!” Uns diziam: “– Ave estrangeira!”, ciscando o chão feito galinha. Um outro corrigia: “– Parece galo.” [mas não sendo; e, apois, não cantava em hora regulada]. Verdade única: subia no poleiro para dormir, feito os demais, e era bonzinho, cristão fiel.…

Leia mais

Publicado em

05 – Arvorar

A Gameleira é a Árvore da Vida. Deve reinar; nós precisamos que ela triunfe. No meio, interior, inserida, metida dentro – centro do ser [Sertão]. Rainha, dando sombra, pouso; garantia de felicidade. Quando grão semeado, cresce ajustada a alguma árvore desnecessária; que, desde esse dia, está condenada. A Gameleira da Morro Alto matou uma dessa ruim; que…

Leia mais