7 Min com Emmanuel: #046 – O Herdeiro do Pai

Ouvir Download

O Herdeiro do Pai

“[…] a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e pelo qual fez os
séculos.”

Hebreus 1:2

Cede aos poderes humanos respeitáveis o que lhes cabe por direito lógico da vida, mas não te esqueças de dar ao Senhor o que lhe pertence.

Esta fórmula conciliadora do Evangelho permanece, ainda, palpitante de interesse para o bem-estar do mundo.

Não convém concentrar em organizações mutáveis do plano carnal todas as nossas esperanças e aspirações.

O homem interior renova-se diariamente. Por isso, a ciência que lhe atende as reclamações, nos minutos que passam, não é a mesma que o servia, nas horas que se foram, e a do futuro será muito diversa daquela que o auxilia no presente. A política do pretérito deu lugar à política das lutas modernas. Ao triunfo sanguinolento dos mais fortes ao tempo da selvageria sem peias, seguiu-se a autocracia militarista. A força cedeu à autoridade, a autoridade ao direito. No setor das atividades religiosas, o esforço evolutivo não tem sido menor.

Em vista de semelhantes realidades, por que te apaixonas, com tanta veemência, por criaturas falíveis e programas transitórios?

Os homens de hoje, por mais veneráveis, são herdeiros dos homens de ontem, empenhados na luta gigantesca pela redenção de si mesmos. Poderão prometer maravilhosos reinados de abastança e paz, liberdade e harmonia, entretanto, não fugirão ao serviço de corrigenda dos erros que herdaram, não só daqueles que os antecederam, no campo dos compromissos coletivos, mas igualmente de suas próprias experiências passadas, em tenebrosos desvios do sentimento.

A civilização de agora é sucessora das civilizações que faliram.

As nações que se restauram aproveitam as nações que se desfizeram.

As organizações que surgem na atualidade guardam a herança das que desapareceram na voragem da discórdia e da tirania.

Examinando a fisionomia indisfarçável da verdade, como hipertrofiar o sentimento, definindo-te, em absoluto, por instituições terrestres que carecem, acima de tudo, de teu próprio auxílio espiritual?

Como pode a casa sem teto abrigar-te da intempérie? A planta do arranha-céu, inteligentemente traçada no pergaminho, ainda não é a construção mantenedora da legítima segurança.

Não existem, pois, razões que justifiquem os tormentos dos aprendizes do Cristo, angustiados pelas inquietudes políticas da hora que passa.
Semelhante estado d’alma é simples produto de inadvertência perigosa, porque todos devemos saber que os homens falíveis não podem erguer obras infalíveis e que compete a nós outros, partidários do Mestre, a posição de trabalhadores sinceros, chamados a servir e cooperar na obra paciente e longa, mas definitiva e eterna, daquele a quem o Pai “constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo”.

***

Comentário de Haroldo Dutra Dias sobre o capítulo

Sete Minutos com Emmanuel – Episódio 46 – Carta aos Hebreus, capítulo 1, versículo 2, comentário do Livro Fonte Viva, Capítulo 148, intitulado: O Herdeiro do Pai – LEITURA DO VERSÍCULO – (…) a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e pelo qual fez os séculos (Hb 1:2) – comenta o benfeitor:

No livro Paulo e Estevão, II Parte, Cap. 9, Emmanuel narra as circunstâncias que envolveram a redação da Carta aos Hebreus. Impossibilitado de ensinar na Sinagoga em Roma, em virtude de sua prisão domiciliar, Paulo escreve com lágrimas a Carta destinada aos seus irmãos do mundo hebreu, “como se desejasse fazer da mensagem um depósito de santas inspirações”, entregando o trabalho a Aristarco, encarregado de fazer as cópias.

Apresentando Jesus como Filho, Herdeiro e Sumo Sacerdote do Altíssimo, a epístola se destaca pelo seu estilo singular, bem como pelas ideias grandiosas e incomuns.

Neste comentário, o benfeitor Emmanuel, na sua costumeira sabedoria, nos ensina que a obra do Cristo é paciente e longa, mas definitiva e eterna, reclamando o nosso espírito de serviço e cooperação.

Retoma a fórmula conciliadora do Evangelho, segundo a qual devemos “dar a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”, para nos orientar a ceder aos poderes humanos respeitáveis o que lhes cabe por direito, sem olvidar a necessidade de dar ao Senhor o que lhe pertence.

A posição de Jesus é a do Governador Espiritual do orbe, eleito e empossado pelo próprio Criador, que faz dele um agente executor da sua soberana vontade.

Deus, na sua infinita sabedoria e no seu infinito amor, conduz os homens a posições de comando, concedendo-lhes recursos e tempo para o estabelecimento de Instituições destinadas ao progresso comum, ciente das imperfeições e precariedades do trabalho.

Por outro lado, acima da mutabilidade e imperfeição das obras humanas, paira o governo espiritual do Cristo, dirigindo a evolução do mundo em consonância com os desígnios divinos.

Conscientes de que homens falíveis não podem erguer obras infalíveis, e de que as instituições terrestres carecem, acima de tudo, de nosso próprio auxílio espiritual, saibamos reconhecer que o Cristo é herdeiro do Pai, investido dos poderes supremos, inalienáveis e imperecíveis, para a direção da evolução humana.

***

Produção:  SER

Tecnico de Gravação:  Júlio Corradi

Voz:  Haroldo Dutra Dias

Finalização:  Júlio Corradi

Música: Prece – João Cabete

Interprete: João Paulo Lanini – Violão

Livro:  Fonte Viva – Capítulo 148

Capítulo:  O Herdeiro do Pai

Versículo:  Hebreus 1:2

Episódio 46 – Carta aos Hebreus, capítulo 1, versículo 2, comentário do Livro Fonte Viva, Capítulo 148, intitulado: O Herdeiro do Pai

Comentários