7 Min com Emmanuel: #053 – Guardemos o coração

Ouvir Download

Guardemos o coração

“Dúbio e inconstante como é em tudo o que faz”

Tiago 1:8

Urge reconhecer que no sentimento reside o controle da vida.

Na romagem terrestre, múltiplos são os caminhos que conduzem ao aperfeiçoamento.

Fartura e escassez, formosura e fealdade, alegria e sofrimento, liberdade e tolhimento, podem aliciar excelentes possibilidades de realização humana para a espiritualidade superior.

O homem de coração dobre, porém, é infiel às bênçãos divinas em todos os setores da luta construtiva.

Se recebe talentos da riqueza terrestre, entrega-se, comumente, às alucinações da vaidade.

Se detém os dons da pobreza, liga-se, quase sempre, aos monstros da inconformação.

Se possui belo corpo dá-se, em via de regra, aos excessos destruidores.

Se dispõe de vaso orgânico defeituoso, na maioria dos casos perde o tempo em desespero inútil.

No prazer, é incontido.

Na dor, é revoltado.

Quando livre, oprime os irmãos e escraviza-os.

Quando subalterno, perturba os semelhantes e insinua a indisciplina.

O sentimento é o santuário da criatura. Sem luz aí dentro, é impossível refletir a paz luminosa que flui incessantemente de Cima.

Ofereçamos ao Senhor um coração firme e terno para que as divinas

Mãos nele gravem os augustos Desígnios. Atendida semelhante disposição em nossa vida íntima, encontraremos em todos os caminhos o abençoado lugar de cooperadores da divina Vontade.

***

Comentário de Haroldo Dutra Dias sobre o capítulo

Explorando outros aspectos da inconstância e da infidelidade, Emmanuel nos brinda com mais uma pérola de luz do Evangelho.

Oferecer ao Senhor Supremo um coração repleto de firmeza e brandura, para que as suas Mãos nele gravem os seus augustos Desígnios, compreendendo que ” O Reino de Deus é obra divina no coração dos homens” (Boa Nova, cap. 3) é nosso mais elevado objetivo.

No sentimento reside o controle da vida, nos adverte o benfeitor.

O coração representa a mais alta de todas as capelas, o santuário da criatura, onde o Pai amoroso nos responde e atende, sob a linguagem pura e peregrina, em luz de redenção.

Fidelidade e confiança representam as disposições fundamentais da nossa vida íntima que tornam possível fazer luz por dentro, refletindo a paz luminosa que flui incessantemente de Deus.

Alcançada essa posição espiritual de docilidade ativa e operante, todos os lugares e situações passam a representar para nosso espírito lugar abençoado de aperfeiçoamento, onde podemos nos tornar cooperadores da divina vontade.

Todavia, a infidelidade humana às bênçãos divinas, em todos os setores onde somos provisoriamente posicionados pela providência, nos tornam refratários, incapazes de extrair o supremo bem que se oculta por detrás de todos os acontecimentos.

Fartura e escassez, formosura e fealdade, alegria e sofrimento, liberdade e tolhimento, na essência, constituem posições provisórias na marcha ascensional do espírito, podendo ser convertidas em aprimoramento ou ruína, dependendo do coração que vive a experiência.

***

Produção:  SER

Edição:  Júlio Corradi

Voz:  Haroldo Dutra Dias

Finalização: Júlio Corradi

Livro:  Vinha de Luz, Cap. 29

Versículo:  Tiago, capítulo 1, versículo 8

Comentários