7 Min com Emmanuel: #058 – Elogios e críticas

Ouvir Download

7 Min com Emmanuel cap. 058

“Todo dom precioso e toda dádiva perfeita vêm do alto e desce do Pai das luzes, no qual não há mudança nem sombra de variação (Tg 1:17)

Elogios e críticas

Se o Sol dependesse da aprovação humana para alimentar a vida que se lhe gravita em derredor, certo que, desde muito, estaria reduzido a montão de cinzas.

Se a Terra sofresse com as censuras que lhe são constantemente desfechadas por todos aqueles que a categorizam por vale de lágrimas, já teria descido à condição de um cemitério no Espaço.

Se a semente rejeitasse a solidão e a morte a que se vê relegada no solo, a fim de colaborar no sustento do mundo, as criaturas estariam, há muito tempo, sem a bênção do pão.

Se a fonte recusasse o regime de mudança incessante e permanente em que é chamada a servir, a vida organizada na Terra se mostraria confinada a primitivismo e estagnação.

Se a árvore só produzisse sob aplausos, o fruto não abençoaria a mesa dos homens.

Obreiros da Verdade e do Bem, reflitamos nas lições simples da Natureza e trabalhemos.

Agradecei o louvor que vos fortalece para o desempenho das obrigações naturais do mundo e aproveitai com resignação a advertência que a crítica vos dê. Entretanto, se precisamos de elogios para trabalhar e se a admoestação nos paralisa as faculdades de servir, estamos ainda longe de compreender o tesouro das oportunidades de aprimoramento e elevação que nos enriquece os caminhos, de vez que, acima de tudo, a bênção que nos reconforta, a luz que nos clareia a estrada, a força que nos sustenta e o apoio que nos escora chegam sempre de Mais Alto e procedem, originariamente e tão-somente, de Deus.

Emmanuel

(Reformador, set. 1971, p. 195) Texto publicado em Segue-me!… Ed. O Clarim. Cap. Elogios e críticas, com pequenas alterações.

***

Comentário de Haroldo Dutra Dias

No episódio 52, o Benfeitor nos asseverou: “Para que alguém ajuíze com acerto, com respeito a determinada experiência, precisa enumerar quantos anos gastou dentro dela, vivendo-lhe as características” (Pão Nosso, Cap. 22). Alertava-nos para a necessidade de perseverar com alguém ou com alguma causa que nos ajude e edifique, de modo a cumprir o alvitre do Cristo: “Batei e será aberto para vós” (Mt 7:7).

Nesse sentido, ganha relevo a frase “As qualidades excelentes são dons que procedem de Deus; entretanto, cada qual tem a porta respectiva e pede uma chave diferente”.

A Bondade Celeste sempre atende aos nossos pedidos, concedendo-nos as justas oportunidades, que por sua vez reclamam o esforço de bater à porta, trazendo nas mãos a respectiva chave, que representa nossa edificação espiritual individual, pessoal e intransferível – o mérito.

Nenhum de nós ignora que coisa alguma possui de bom sem que Deus nos conceda, mas essas qualidades excelentes, provenientes da Infinita Misericórdia, representam portas de acesso a profundas e intensas experiências, cada qual reclamando uma chave específica, moldada à custa de muito esforço e dedicação, disciplina e empenho.

Emmanuel nos afirma: “Não apenas os dons da inteligência, mas também o corpo físico, as vantagens diversas, os patrimônios afetivos e até mesmo as dores que te povoam as horas são recursos de que te aproprias na Terra, com permissão do Senhor, para investi-los na construção da própria felicidade” (Livro da Esperança, Cap. 41).

“A Criação pode ser comparada à imensa propriedade do Criador que a usufrui com todas as criaturas, em condomínio perfeito, no qual as responsabilidades crescem com a extensão dos conhecimentos e dos bens obtidos. Não te digas, dessa forma, sem a obrigação de pensar, estudar, influenciar, programar, agir e fazer (…) as leis de Deus estão invariavelmente prontas a efetuarem o máximo em nosso favor; entretanto, nada conseguirão realizar por nós, se não dermos de nós pelo menos o mínimo” (Livro da Esperança, Cap. 82).

     “Passa o rio dos dons divinos em todos os continentes da vida, contudo, cada ser lhe recolhe as águas, segundo o recipiente de que se faz portador. Não olvides que os talentos de Deus são iguais para todos, competindo a nós outros a solução do problema alusivo à capacidade de recebê-los. (…) Lembra-te de que o Senhor nos concede tudo aquilo de que necessitamos para comungar-lhe a glória divina, entretanto, não te esqueças de que as dádivas do Criador se fixam, nos seres da Criação, conforme a capacidade de cada um.” (Palavras de Vida Eterna, Cap. 7)

Produção: SER

Projeto: 7 Minutos com Emmanuel

Gravação: Haroldo D. Dias

Voz: Haroldo Dutra Dias

Música: Ao Cair da Tarde – João Cabete

Interprete: João Paulo Lanini – Violão

Edição: Júlio Corradi

Design: Júlio Corradi

Foto: Juliana Pantaleão

Comentários